Betânia, exemplo de crescimento e Responsabilidade Socioambiental

A empresa Betânia e a empresa Bidatek, trabalham juntas em matéria de responsabilidade socioambiental. Filtro Biológico Bidatek presente em dois unidades industriais dela Betânia.

Há 45 anos no mercado, a marca Betânia faz parte da vida de milhões de brasileiros. Com mais de quatro décadas de experiência, com foco, compromisso e dedicação a marca surgiu no momento em que o Brasil era um grande importador de alimentos, sobretudo, de leite. A Betânia se diferencia por estar presente em todos os elos da cadeia produtiva do leite, que vai desde a ordenha da vaca até o processo de industrialização e distribuição nas mesas de milhões de famílias nordestinas, que a transformaram no leite longa vida mais vendido do Nordeste. O sucesso da marca reflete nos resultados da empresa, que no primeiro trimestre desse ano aumentou as vendas em 25% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Com forte presença no Nordeste, a empresa possui três unidades industriais nos estados do Ceará, Pernambuco e Sergipe e tem auxiliado no processo de desenvolvimento dessas regiões, mobilizando mais de 3 mil fazendeiros em cerca de 300 municípios nordestinos, produzindo mais de 600 mil litros de leite por dia, além de contar com 1.200 funcionários diretos e 15 mil estabelecimentos comerciais envolvidos. “Acreditamos que a integração é o caminho mais seguro para promovermos as transformações necessárias. Para isso, acreditamos na grande força e a dedicação empreendidas por nossos funcionários parar melhorar, avançar e concluir a desejada integração de nossa cultura corporativa com todos e todas que fazem parte de nosso negócio”, afirma Bruno Girão, presidente da Betânia.

O método de produção de toda a cadeia permite à Betânia garantir o preço mínimo do leite (garantindo a estabilidade dos ganhos ao produtor); a coleta do leite captado (garantindo o escoamento da produção rural); a integração da indústria com produtores (garantindo a inovação tecnológica através de uma extensiva rede de técnicos o extensionismo rural privado); a integração entre indústria e consumidores (através da conscientização alimentar); a seleção, a formação e a auditoria dos produtores.