Brasil perde até 70% de água limpa durante abastecimento

Dados do Sistema Nacional de Informação de Saneamento (SNIS), apontam que em média, 38,8% da água é perdida entre a saída da estação de tratamento e a entrada nas casas. De acordo com pesquisas da UNICAMP, o volume perdido chega a 70% em algumas cidades da região Norte do Brasil, enquanto no Japão, a perda fica em torno de 7%. Ou seja, é possível começar a economia desde o começo do processo.

Mas o que o Japão faz de diferente do Brasil para minimizar a perda de água durante o abastecimento? Levando em conta que essa perda ocorre devido a vazamentos na rede e transbordamento de reservatórios, ocasionados por falta de manutenção e de investimentos nos sistemas, a resposta fica clara.

Ao investir em novas tecnologias, o processo de automação terá importantes avanços, reduzindo os custos e aumentando a facilidade de manutenção. Além de otimizar a prestação de serviço das empresas e dar uma resposta mais rápida ao consumidor nas ocasiões de escoamento.