Em Sergipe, doze mil pessoas serão beneficiadas com água potável

Técnicos do Programa Água Doce (PAD) do Ministério do Meio Ambiente (MMA) realizam desta quinta a sexta-feira (6 e 7), em Aracaju (SE), oficina de capacitação na metodologia do programa para garantir que a empresa licitada implante as obras no estado atendendo aos requisitos do governo federal.

O convênio de R$ 6,6 milhões prevê a implantação de 30 sistemas de dessalinização em nove municípios. Na primeira etapa do programa, a região teve 75 comunidades rurais diagnosticadas. As informações levantadas são detalhadas e vão ajudar na implantação ou acompanhamento de diversas políticas públicas.

Relevância

O programa Água Doce prioriza as regiões em situações mais críticas. Lugares com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), altos percentuais de mortalidade infantil, baixos índices pluviométricos e com dificuldades de acesso aos recursos hídricos serão os primeiros a serem contemplados. Assim como o Índice de Condição de Acesso à Água do Semiárido (ICAA), desenvolvido a partir do cruzamento dos mesmos indicadores.

 “As capacitações nas três fases do programa (diagnóstico, obras e manutenção e monitoramento) são extremamente importantes, pois estamos treinando a empresa licitada para que, junto ao Estado, implante os sistemas dentro da metodologia do Água Doce tanto no aspecto da obra, como na questão social e ambiental”, explicou o coordenador Nacional do PAD, Renato Ferreira.

Coordenado pelo MMA, o programa é uma ação do governo federal com o objetivo de estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade para o consumo humano. Lançado em 2004, passou a integrar o Plano Brasil sem Miséria há dois anos e consiste na implantação e recuperação de aparelhos de dessalinização em áreas rurais de baixa renda do Semiárido.

http://www.brasil.gov.br/