Reúso da Água

A crise hídrica em diversos estados brasileiros abriu espaço para o incentivo a utilização de água de reúso e os esgotos podem ser os “novos mananciais” nesse tempo de escassez, afirmou nesta quarta-feira (13/5) João Jorge da Costa, diretor da Divisão de Saneamento Básico da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Costa mediou os debates do Workshop Água de Reúso, organizado pelo Departamento de Infraestrutura (Deinfra) da Fiesp. Segundo ele, o reúso de água é tão convincente de sua eficácia quanto o próprio tratamento convencional de água.

“Podemos considerar que nossos esgotos são os novos mananciais, ou seja, o reúso da água pode influenciar e modificar a nossa definição de sistema de esgoto”, comentou. Para ele, o sistema de reúso de água é uma alternativa confiável, e tem sido muito necessária principalmente em regiões de muita escassez.

Um dos especialistas convidados para abordar o tema, o professor doutor da Universidade de São Paulo (USP), José Carlos Mierzwa, lembrou que a escassez de água pelo qual passa o Estado de São Paulo é reflexo da falta de planejamento para atender toda a população, que cresceu exponencialmente nas últimas décadas.

Segundo ele, o custo para tratar e reutilizar a água que vem da rede de esgoto é mais baixo do que o investimento para buscar o líquido em mananciais. Além disso, conta, a água de reuso é totalmente confiável. ‘Existe esse pensamento de que a água do esgoto não serve. Mas hoje a tecnologia nos permite deixar a água até mais pura que a captada de represas’, garante.

http://www.tratabrasil.org.br/